Cachoeira do Segredo | Chapada dos Veadeiros

Oii gente,

A Cachoeira do Segredo é impressionante, cerca de 100 metros de queda em meio a um cânion, considerada uma das mais bonitas da Chapada dos Veadeiros. Anos atrás, era escondida pelos garimpeiros por ser uma região rica em ouro.

A trilha para a Cachoeira do Segredo possui diversas passagens por dentro de rios. No percurso, há diversas paradas para banho em piscinas naturais com águas cristalinas, perfeitas para tomar um sol e se banhar, já que na cachoeira do Segredo a água é bastante fria, quase congelante, consegui ficar só 2 minutos na água rs.

Confira o vídeo da Cachoeira do Segredo, Chapada dos Veadeiros ❤

Como chegar à Cachoeira do Segredo: De Alto Paraíso peguei uma carona até São Jorge e de lá peguei outra carona para a Cachoeira do Segredo. Para quem for de carro, a partir de São Jorge são 11 km de asfalto pela GO-239, com entrada à esquerda da pista na placa que indica a cachoeira. Ao todo, são quatro passagens por dentro de rios rasos.

Quanto: Não é necessário ir com guia à Cachoeira do Segredo. O valor da entrada é R$ 35,00 por pessoa e o ticket pode ser comprado tanto em uma agência de turismo em São Jorge, quanto na entrada do estacionamento.

O que levar
Tênis
Roupa para banho
Casaco (na Cachoeira do Segredo faz bastante frio)
Protetor Solar
Repelente
Água
Lanches e frutas

Onde ficar: Fiquei hospedada no Camping Mirante do Sol, a localização é ótima e ótimo custo benefício. Os donos, Roxelle e Alfredo, são maravilhosos, como fui sozinha eles me ajudaram em tudo.

Espero que tenham gostado,

Um beijo,

Fê Toyomoto.

Trilha dos Saltos Carrossel e Corredeiras | Parque Nacional Chapada dos Veadeiros

Oii gente,

O Parque Nacional fica no distrito de São Jorge a 36 km do município de Alto Paraíso, Goiás. Foi minha primeira experiência pedindo carona na estrada, uma verdadeira aventura rs estou completamente apaixonada pela Chapada dos Veadeiros, realmente é um lugar muito especial, com uma energia maravilhosa!

Confira a Trilha dos Saltos, Carrossel e Corredeiras no Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros ❤

O que fazer: No parque é possível fazer quatro trilhas: Travessia das Sete Quedas, Trilha dos Saltos, Carrossel e Corredeiras, Trilha dos Cânions e Cariocas e Trilha da Seriema. Fiz a Trilha dos Saltos, Carrossel e Corredeiras: 12 km de trilha com duração estimada de 4h – 6h, conforme o tempo que você ficar nos atrativos. Nível de dificuldade: moderado / pesado. Todo o percurso é sinalizado com setas amarelas.

Como chegar: Fui de Brasília para Alto Paraíso em uma carona compartilhada. A dica para quem for para lá, é buscar caronas em um grupo do Facebook chamado: Conexão Chapada Transporte Solidário, geralmente o valor da contribuição é R$ 35,00. E de Alto Paraíso peguei uma carona até São Jorge.

De Brasília-DF, são cerca 260 km até a entrada do Parque. O acesso é feito pela BR-020, em direção à Formosa-GO. No trevo, pegar a BR-010, sentido Alto Paraíso. Após cruzar a divisa do Distrito Federal com Goiás, a BR-010 passa a se chamar GO-118. Chegando a Alto Paraíso, vire no trevo à esquerda em direção a São Jorge e siga pela GO-239 por mais 36 km.

Quanto: Grátis.

Registro de entrada: Após assistir um vídeo com a orientação sobre o parque, o registro dos visitantes é feito mediante o preenchimento do Termo de Conhecimento de Riscos e Normas na entrada.

Horário de funcionamento: Todos os dias da semana.
Às segundas-feiras as visitas só são permitidas com guias. Exceto em janeiro e julho, quando as visitas sem guias também são permitidas.
Entrada: das 8h às 12h.
Saída: até às 18h.

O que levar
Tênis
Roupa para banho
Protetor Solar
Repelente
Água
Lanches e frutas

Quando ir: O Parque pode ser visitado durante o ano todo. Normalmente, o período de seca vai de maio a outubro e as chuvas se estendem de novembro a abril.

Onde ficar: Fiquei hospedada no Camping Mirante do Sol, a localização é ótima e ótimo custo benefício. Os donos, Roxelle e Alfredo, são maravilhosos, como fui sozinha eles me ajudaram com dicas de guias, passeios e inclusive a Roxelle me acompanhou na minha primeira carona sozinha.

Espero que tenham gostado,

Um beijo,

Fê Toyomoto.

Como a meditação pode melhorar suas viagens?

Oii gente,

Meditar pode ser uma ferramenta poderosa para viagens, principalmente, para reduzir o estresse e ansiedade.

Quando se trata de meditação, a primeira coisa que escuto é: não tenho técnica ou não sei nem por onde começar. Porém, a essência da prática é, na verdade, bastante simples, e seus benefícios podem trazer um pouco de alívio para muitas situações estressantes, incluindo viagens e voos.

Professores da Universidade British Columbia reuniram mais de 20 estudos e verificaram que com a meditação, oito regiões do cérebro mudam através da prática constante.

Confira algumas maneiras que a meditação pode melhorar suas viagens! ❤

Seja o medo de voar ou de perder o voo, muitas pessoas ficam ansiosas ao viajar. Não podemos controlar se o avião está atrasado, ou se perderemos nossa bagagem, mas a atenção plena nos permite aprender a aceitar o desconhecido e até mesmo abraçá-lo.

O primeiro passo é se concentrar na respiração, observar o ar entrando e o ar saindo. Por exemplo, se voar é uma experiência estressante para você ou você está esperando para embarcar, reserve alguns minutos antes da decolagem para respirar profundamente.

Ao sintonizar sua respiração, você perceberá que aquele é apenas um estado mental de preocupação, e você pode se libertar disso, mesmo que seja apenas por um segundo, de modo que aquele pensamento não te possua completamente.

A meditação, também, pode te ajudar a apreciar os destinos que você está explorando. Viajar é um processo de descoberta e exploração, e a meditação ajuda você a se manter no momento presente, sem projetar o futuro ou reviver o passado, pois isso tende a te afastar do que está acontecendo agora.

Treinar a respiração ajuda também a aliviar o cansaço que às vezes pode ser físico ou mental.

Para quem deseja começar a meditar, mas não sabe como, sugiro o aplicativo Insight Timer, ele é gratuito e há meditações de todos os tipos para todos os gostos. E o bacana é que ao fazer o login, o aplicativo reúne as pessoas que estão meditando com você naquele momento no mundo todo.

Espero que a meditação te ajude a desfrutar ainda mais das viagens!

Um beijo,

Fê Toyomoto.

Conheça as ilhas paradisíacas da Tailândia

Oii gente,

A Tailândia tem uma das praias mais bonitas do mundo. São 1.430 ilhas, além das diversas praias. Chega a ser redundante, mas praticamente todas as ilhas possuem água cristalina, areia branca e muitos peixes. Selecionei alguns highlights para vocês conhecerem e se inspirarem!

Conheça as ilhas paradisíacas da Tailândia ❤

Chicken Island
Koh Kai é  chamada de “Chicken Island” pela rocha em formato de frango, é uma pequena ilha localizada na província de Krabi. As águas que rodeiam a ilha abrigam recifes de coral, além de ser um ótimo lugar para mergulho.

Tup Island
Tup Island ou “Koh Tup” é uma pequena ilha localizada no arquipélago Mu Koh Poda. A Ilha apresenta um fenômeno chamado “Talay Waek”, que significa mar dividido, refere-se a areia em forma de Y que aparece durante a maré baixa e literalmente divide o mar.

Monkey Island
A Monkey Beach fica localizada na ilha de Koh Phi Phi e é o lar de muitos macacos, possui uma faixa de areia branca fina com 150 metros de comprimento, orlada por água esmeralda. A parte de trás da praia é um penhasco de calcário bastante íngreme, coberto com vegetação, oferecendo aos macacos um habitat confortável. Não há infraestrutura em Monkey Beach, então não esqueça de levar água e lanches. Além dos macacos, a vida marinha é uma excelente opção para mergulhos.

Camel Island
A Camel Island, tem esse nome pela rocha em formato de camelo, é uma das menores ilhas de Koh Phi-Phi.

Poda Island
Poda Island é uma pequena ilha, orlada por águas límpidas, areia branca e recifes de corais. A ilha é um lugar de destaque para passeios diurnos nas praias vizinhas de Ao Nang, Phra Nang e Railay.

Palankin Island
Palankin Island é mais uma das incríveis ilhas com água cristalina e ótima para mergulhar com os peixes.

Como chegar
Para chegar nas ilhas alugamos um private long tail boat, porém em algumas ilhas não é possível ir de long tail, somente de lancha. No centro de Krabi, há diversos quiosques vendendo os pacotes de um dia, a dica é barganhar. Nosso passeio, além do tour em todas as ilhas, oferecia também água e frutas.

Espero que tenham gostado.

Um beijo,

Fê Toyomoto.

Passo a Passo Plantação de Arroz | Living Land Rice Experience, Laos

Oii gente,

Sabe aquele arroz que comemos todos os dias? Pois é, antes de conhecer uma fazenda de arroz eu não tinha ideia do trabalho que dava todo o processo de plantação. Conheci a Living Land Rice Experience, em Luang Prabang no Laos.

Confira os 14 passos para plantar, cultivar, colher e preparar o arroz ❤

#1: Selecionando o Grão – Para encontrar os melhores grãos, eles são colocados em uma solução de água com sal: os que ficarem no fundo são considerados saudáveis e bons para o plantio e os grãos ruins ficam na superfície e são dados ao gado como alimento.

#2: Plantando as sementes em um local onde as condições sejam controladas, enquanto as mudas crescem.

#3: Arar o Campo – Quando as mudas estiverem fortes o suficiente, é hora de arar o campo. A Fazenda conta com o búfalo, Rudolf, para ajudar na lavoura.

#4: Transplantando as mudas e plantando-as.

#5: Irrigação – O sistema de irrigação rega automaticamente o campo e bloqueia os canais com lama. É uma técnica simples e eficaz.

#6: Colheita – Se atrasar a colheita o arroz fica inutilizável, por isso os agricultores estão sempre atentos às datas. Os talos são cortados perto da base usando uma foice, e depois deixados para secar ao sol por alguns dias.

#7: Batendo – Quando o arroz está seco, os grãos são batidos em tabuleiro para separar o talo do grão.

#8: Limpeza – Enquanto bate os caules, muitas cascas caem nos grãos de arroz. Como são mais leves que os grãos, a maneira mais fácil de separá-los é usar um “leque” para separar os grãos das cascas.

#9: Embalagem e armazenamento – O arroz é carregado em cestos para ser transportado para as casas ou para o armazenamento.

#10: Descascando o arroz – As cascas são separadas por um “dispositivo” de madeira.

#11: Separando grãos das cascas – Nos passos anteriores, as cascas foram removidas fisicamente dos grãos, mas ainda precisa separar os grãos comestíveis das cascas. Então, as mulheres usam bandejas de bambu para remover o arroz até que todas as cascas mais leves “voem”.

#12: O arroz fica de molho por três horas.

#13: Cozinhamento – O arroz é cozido no vapor por 30 minutos. Eles usam uma cesta de bambu que fica no topo de uma panela de água fervente.

#14: Hora de comer – O estágio mais fácil, comer o arroz cozido e alguns outros lanches feitos de arroz.

Living Land Rice Experience, Laos
Onde: Ban Phong Van, Luang Prabang Town
Quanto: toda a experiência custa cerca de R$ 190,00.

Espero que tenham gostado.

Um beijo,

Fê Toyomoto.