Como a meditação pode melhorar suas viagens?

Oii gente,

Meditar pode ser uma ferramenta poderosa para viagens, principalmente, para reduzir o estresse e ansiedade.

Quando se trata de meditação, a primeira coisa que escuto é: não tenho técnica ou não sei nem por onde começar. Porém, a essência da prática é, na verdade, bastante simples, e seus benefícios podem trazer um pouco de alívio para muitas situações estressantes, incluindo viagens e voos.

Professores da Universidade British Columbia reuniram mais de 20 estudos e verificaram que com a meditação, oito regiões do cérebro mudam através da prática constante.

Confira algumas maneiras que a meditação pode melhorar suas viagens! ❤

Seja o medo de voar ou de perder o voo, muitas pessoas ficam ansiosas ao viajar. Não podemos controlar se o avião está atrasado, ou se perderemos nossa bagagem, mas a atenção plena nos permite aprender a aceitar o desconhecido e até mesmo abraçá-lo.

O primeiro passo é se concentrar na respiração, observar o ar entrando e o ar saindo. Por exemplo, se voar é uma experiência estressante para você ou você está esperando para embarcar, reserve alguns minutos antes da decolagem para respirar profundamente.

Ao sintonizar sua respiração, você perceberá que aquele é apenas um estado mental de preocupação, e você pode se libertar disso, mesmo que seja apenas por um segundo, de modo que aquele pensamento não te possua completamente.

A meditação, também, pode te ajudar a apreciar os destinos que você está explorando. Viajar é um processo de descoberta e exploração, e a meditação ajuda você a se manter no momento presente, sem projetar o futuro ou reviver o passado, pois isso tende a te afastar do que está acontecendo agora.

Treinar a respiração ajuda também a aliviar o cansaço que às vezes pode ser físico ou mental.

Para quem deseja começar a meditar, mas não sabe como, sugiro o aplicativo Insight Timer, ele é gratuito e há meditações de todos os tipos para todos os gostos. E o bacana é que ao fazer o login, o aplicativo reúne as pessoas que estão meditando com você naquele momento no mundo todo.

Espero que a meditação te ajude a desfrutar ainda mais das viagens!

Um beijo,

Fê Toyomoto.

Conheça as ilhas paradisíacas da Tailândia

Oii gente,

A Tailândia tem uma das praias mais bonitas do mundo. São 1.430 ilhas, além das diversas praias. Chega a ser redundante, mas praticamente todas as ilhas possuem água cristalina, areia branca e muitos peixes. Selecionei alguns highlights para vocês conhecerem e se inspirarem!

Conheça as ilhas paradisíacas da Tailândia ❤

Chicken Island
Koh Kai é  chamada de “Chicken Island” pela rocha em formato de frango, é uma pequena ilha localizada na província de Krabi. As águas que rodeiam a ilha abrigam recifes de coral, além de ser um ótimo lugar para mergulho.

Tup Island
Tup Island ou “Koh Tup” é uma pequena ilha localizada no arquipélago Mu Koh Poda. A Ilha apresenta um fenômeno chamado “Talay Waek”, que significa mar dividido, refere-se a areia em forma de Y que aparece durante a maré baixa e literalmente divide o mar.

Monkey Island
A Monkey Beach fica localizada na ilha de Koh Phi Phi e é o lar de muitos macacos, possui uma faixa de areia branca fina com 150 metros de comprimento, orlada por água esmeralda. A parte de trás da praia é um penhasco de calcário bastante íngreme, coberto com vegetação, oferecendo aos macacos um habitat confortável. Não há infraestrutura em Monkey Beach, então não esqueça de levar água e lanches. Além dos macacos, a vida marinha é uma excelente opção para mergulhos.

Camel Island
A Camel Island, tem esse nome pela rocha em formato de camelo, é uma das menores ilhas de Koh Phi-Phi.

Poda Island
Poda Island é uma pequena ilha, orlada por águas límpidas, areia branca e recifes de corais. A ilha é um lugar de destaque para passeios diurnos nas praias vizinhas de Ao Nang, Phra Nang e Railay.

Palankin Island
Palankin Island é mais uma das incríveis ilhas com água cristalina e ótima para mergulhar com os peixes.

Como chegar
Para chegar nas ilhas alugamos um private long tail boat, porém em algumas ilhas não é possível ir de long tail, somente de lancha. No centro de Krabi, há diversos quiosques vendendo os pacotes de um dia, a dica é barganhar. Nosso passeio, além do tour em todas as ilhas, oferecia também água e frutas.

Espero que tenham gostado.

Um beijo,

Fê Toyomoto.

Passo a Passo Plantação de Arroz | Living Land Rice Experience, Laos

Oii gente,

Sabe aquele arroz que comemos todos os dias? Pois é, antes de conhecer uma fazenda de arroz eu não tinha ideia do trabalho que dava todo o processo de plantação. Conheci a Living Land Rice Experience, em Luang Prabang no Laos.

Confira os 14 passos para plantar, cultivar, colher e preparar o arroz ❤

#1: Selecionando o Grão – Para encontrar os melhores grãos, eles são colocados em uma solução de água com sal: os que ficarem no fundo são considerados saudáveis e bons para o plantio e os grãos ruins ficam na superfície e são dados ao gado como alimento.

#2: Plantando as sementes em um local onde as condições sejam controladas, enquanto as mudas crescem.

#3: Arar o Campo – Quando as mudas estiverem fortes o suficiente, é hora de arar o campo. A Fazenda conta com o búfalo, Rudolf, para ajudar na lavoura.

#4: Transplantando as mudas e plantando-as.

#5: Irrigação – O sistema de irrigação rega automaticamente o campo e bloqueia os canais com lama. É uma técnica simples e eficaz.

#6: Colheita – Se atrasar a colheita o arroz fica inutilizável, por isso os agricultores estão sempre atentos às datas. Os talos são cortados perto da base usando uma foice, e depois deixados para secar ao sol por alguns dias.

#7: Batendo – Quando o arroz está seco, os grãos são batidos em tabuleiro para separar o talo do grão.

#8: Limpeza – Enquanto bate os caules, muitas cascas caem nos grãos de arroz. Como são mais leves que os grãos, a maneira mais fácil de separá-los é usar um “leque” para separar os grãos das cascas.

#9: Embalagem e armazenamento – O arroz é carregado em cestos para ser transportado para as casas ou para o armazenamento.

#10: Descascando o arroz – As cascas são separadas por um “dispositivo” de madeira.

#11: Separando grãos das cascas – Nos passos anteriores, as cascas foram removidas fisicamente dos grãos, mas ainda precisa separar os grãos comestíveis das cascas. Então, as mulheres usam bandejas de bambu para remover o arroz até que todas as cascas mais leves “voem”.

#12: O arroz fica de molho por três horas.

#13: Cozinhamento – O arroz é cozido no vapor por 30 minutos. Eles usam uma cesta de bambu que fica no topo de uma panela de água fervente.

#14: Hora de comer – O estágio mais fácil, comer o arroz cozido e alguns outros lanches feitos de arroz.

Living Land Rice Experience, Laos
Onde: Ban Phong Van, Luang Prabang Town
Quanto: toda a experiência custa cerca de R$ 190,00.

Espero que tenham gostado.

Um beijo,

Fê Toyomoto.

Khao San Road, a rua mais caótica e exótica de Bangkok

Oii gente,

Khao San Road é uma das ruas mais famosas em Bangkok, é um lugar caótico e exótico.

São muitas pessoas andando, hostels, lojas que vendem desde lembrancinhas até documentos falsos, camelôs, lojas de tatuagem, casas de massagem e street foods que vão desde o famoso Pad Thai até os espetinhos de insetos.

A rua que nunca dorme, se transforma a noite e os camelôs dão lugar às mesas dos bares e ao som alto. 

Filmes como A Praia e Se Beber Não Case tem grande parcela na popularização de Bangkok como destino turístico e em ambos os filmes a Khao San Road é retratada como um lugar bem exótico.

Confira um pouco da Khao San Road, a rua mais caótica e exótica de Bangkok ❤

Como chegar na Khao San Road
A forma mais fácil é ir de tuk tuk seja lá onde você estiver.
Não há estação do metrô por perto, mas é possível ir de ônibus, só não é recomendado na hora do rush (entre 15h30 e 21h), é uma das maneiras mais baratas de chegar lá, com tarifas por menos de 20 baht (75 centavos). Algumas linhas de ônibus que param perto da Khao San Road incluem os números 2, 3, 15, 53, 511 e 509.
Se você estiver próximo a um pier pegue um barco que pare na Phra Arthit e de lá siga a pé.

Um beijo,

Fê Toyomoto.

 

Angkor Wat, Camboja | Sítio arqueológico mais importante do Sudeste Asiático

Oii gente,

O complexo Angkor, no Camboja, é o sítio arqueológico mais importante do sudeste asiático com aproximadamente 400 km², inclui o parque arqueológico Angkor, o famoso templo Angkor Wat, Angkor Thom e Bayon Temple e também palco do famoso filme Lara Croft: Tomb Raider.

Considerado Patrimônio mundial da humanidade pela UNESCO, possui esculturas intactas do século 9.  Angkor Wat governada pelo rei Suryavarman II, foi centro político, econômico e religioso do Império Khmer, onde viveu mais de 500.000 pessoas.

Confira um pouco do Angkor Wat, Camboja ❤

A dica para quem for visitar é contratar um guia para explicar os principais pontos do complexo, o lugar é gigante e você poderá, facilmente, se perder. Um dia foi o suficiente para visitar e conhecer a história dos principais pontos do complexo.

Horário de funcionamento
Das 5h30 às 17h30.

Preço
37 dólares por 1 dia, 62 dólares por 3 dias e 72 dólares 7 dias.

Quando ir
O Camboja, assim como nos outros países do Sudeste Asiático, também tem monções – que é o período de chuvas, entre os meses de maio e outubro. A melhor época para ir é de novembro a fevereiro – o período mais seco e não tão quente. De março a maio é o período mais quente do ano, então prepare-se para o calor!

Regras

  • não toque nas paredes dos templos, especialmente as paredes esculpidas;
  • não suba nas pedras ou escale os templos e/ou ruínas;
  • não tire fotos dos monges budistas sem autorização;
  • não fume dentro dos templos;
  • não dê dinheiro para crianças;
  • não jogue lixo nos templos.

Um beijo,

Fê Toyomoto.

Um pouco de Hanói, Vietnã

Oii gente,

Se eu pudesse definir o Vietnã seria organização em meio ao caos. Com um dos trânsitos mais caóticos que já vi, até agora só perde para a Índia, atravessar a rua é uma verdadeira aventura. Em Hanói, capital do Vietnã, somos bombardeados por diferentes estímulos, sons e odores.

A cada esquina algo se destaca sob o nosso olhar ocidental. Esse foi o primeiro país comunista que conheci, com ruas amplas e arquitetura geométrica, há militares a cada esquina, a propaganda da polícia militar é clara: você não precisa da sua individualidade, o estado te protege e cuida de você.

Os templos e museus contam a história do comunismo no país de forma partidária, sempre pendendo para o lado da generosidade e compaixão, mesmo em momentos de extrema crueldade.

Confira o vídeo sobre um pouco de Hanói, Vietnã 

Em 1959, o Vietnã do Norte, sob regime socialista, iniciou uma luta contra o Vietnã do Sul pela reunificação do país. Os Estados Unidos temendo uma expansão do socialismo no Sudeste Asiático entrou no conflito em defesa do Vietnã do Sul, intensificando a Guerra do Vietnã. Tropas estadunidenses lançaram bombas químicas, provocando a destruição de áreas agrícolas e de florestas, além de milhares de mortes.

Na década de 1990 o governo nacional realizou reformas na política econômica e com isso, o Vietnã, que possui governo comunista, passou a atrair capitais estrangeiros, com investimentos do Japão, Estados Unidos e China.

O Vietnã possuía uma economia baseada no setor agrícola, sobretudo na produção de arroz, que ao longo dos anos se expandiu para o setor industrial, com destaque para a produção de calçados, roupas, brinquedos e produtos eletrônicos.

Um beijo,

Fê Toyomoto.

Como tornar a sua viagem mais significativa?

Oii gente,

Viajar sem dúvidas é transformador, mas antes de iniciar essa jornada, que muitas vezes é interior, há três questões fundamentais que permitirão vivermos uma experiência mais significativa: objetivo, tempo e dinheiro.

Mais do que uma busca que pode soar até como espiritual, viajar com propósito é algo que faz o coração vibrar, é se permitir viver essa aventura. Para mim, uma viagem transformadora engloba: autoconhecimento, conhecer e compreender novas visões de mundo e criar conexões.

O entendimento da diferença entre uma longa viagem e uma viagem de férias é fundamental para uma viagem significativa. Nas férias temos a tendência de viver experiências mais superficiais, focadas no turismo. Em uma longa viagem, o turismo faz parte da essência, mas há outras experiências que serão exploradas.

Por isso, gosto sempre de lembrar dos meus objetivos com essa experiência, eles serão o ponto de partida para o planejamento. Depois, o tempo de viagem, quanto mais tempo de viagem mais me permito viver experiências fora da bolha. E por fim, o dinheiro, onde viajar barato é uma escolha que me conecta de forma genuína com a cultura local.

São jornadas de autoconhecimento em que saímos de casa de um jeito e retornamos completamente mudados. Eu acredito muito em viagens que vão além do turismo e do dia 24/04 a 02/05 acontecerá um Congresso Online Gratuito sobre Viajar com Propósito, serão 14 palestras, está demais. Link da inscrição: https://bit.ly/viajarcompropositocongresso

Confira o vídeo sobre como tornar a sua viagem mais significativa ❤

Um beijo,

Fê Toyomoto.