Tabu na Índia: menstruação

Namastê!

Algumas semanas atrás postei na página do Facebook uma palestra que dei na Universidade de Banasthali Vidyapith para o Fórum de Negócios para jovens Empreendedores, no qual compartilhei com 200 jovens indianas sobre minha mudança para a Índia, com o intuito de inspirá-las a seguirem os seus sonhos, o tema era: Rise – Risk – Rediscover (a primeira palestra que dei aqui na Índia você pode ver aqui).

Foi uma experiência incrível que me fez refletir ainda mais sobre o papel das mulheres aqui na Índia. A universidade possui cerca de 12 mil alunas, um colégio interno com graduação completa voltada apenas para meninas. Conversando com o reitor ele me disse, “aqui todo dia é dia da mulher, lutamos todos os dias pelo direito das mulheres”.

universidade-para-mulheres-india-japa-viajante

A energia do lugar é encantadora, porém as meninas são educadas, sem o convívio com meninos. Eu, por exemplo, tenho vários amigos homens e acredito ser saudável / fundamental essa interação. Li uma matéria na BBC que me fez pensar ainda mais sobre a sociedade indiana: o tabu sobre a  menstruação.

A menstrual é algo biológico e natural, correto?! Porém, na Índia nesse período as mulheres são consideradas impuras, sujas e até mesmo amaldiçoadas, uma pesquisa revelou que 1 a cada 5 meninas deixam a escola por vergonha da menstruação.

Quem pensa que isso atinge apenas as camadas mais pobres, se engana. Esse tabu atinge todas as castas desde as mais baixas até as mais altas. Perguntei para um amigo que pertence a casta mais elevada da Índia, os brâmanes, e questionei sobre o assunto. “Na minha casa, minha mãe no período menstrual não pode cozinhar para a família e nem entrar nos templos, pois ela é considerada impura, é um período de reclusão”, disse ele.

Perguntei para outra amiga indiana sobre o mesmo tema, ela me disse que em algumas famílias a mulher não pode nem ao mesmo se sentar na cadeira, ela deve se sentar no chão em um lugar mais reservado e há uma pessoa que a serve comida, pois nesse período ela não pode fazer as atividades normais.

mulheres-india-menstruacao-japa-viajante

Absorvente e papel higiênico, por exemplo, ficam sempre escondidos nas prateleiras do supermercado. Ao questionar, as pessoas se esquivam e sentem muita vergonha. Segundo uma pesquisa realizada por uma empresa de absorventes, 75% das mulheres compram absorventes envoltos em jornais devido a vergonha sobre a menstruação.

Além de problemas como infecção pela falta de higiene, mais de 3 milhões de meninas deixam a escola todos os anos por vergonha, pois se sentem sujas e impuras.

Atualmente, há diversas organizações que lutam para combater esse tabu, não se trata apenas da questão mulher, se trata de um rito de passagem natural da vida que deve ser encarado com naturalidade e as mulheres não devem se envergonhar por isso.

O motivo? Segundo algumas religiões como hinduísmo, judaísmo e islamismo a mulher no período menstrual é considerada impura, intocável e capaz de transmitir doenças.

A Menstrupedia é um guia fundado por indianos com o intuito de instruir meninas e mulheres para se manterem saudáveis e ativas durante a menstruação. “Menstrupedia é um pequeno, mas definitivo passo para quebrar os mitos e mal-entendidos que cercam a menstruação”, diz o site.

menstrupedia menstruacao india japa viajante

Aos poucos a sociedade está mudando, mas há um longo caminho a percorrer. Que tal começarmos a falar sobre o assunto com mais naturalidade? Vamos prevenir que tantas meninas sofram por algo tão natural, que faz parte do processo biológico.

Beijo,

Fer Toyomoto.

 

Dicas para mulheres que vão viajar sozinha para a Índia

Ser mulher na Índia não é uma das coisas mais fáceis do mundo. Antes de me mudar foram horas de conversas com minha família. Todo mundo me falava: Índia?! Que demais, você é corajosa hein! Cuidado porque lá é muito perigoso. Um dia meu pai me mandou um e-mail com 5 links de estupro coletivo na Índia, imagina minha reação :O

Comecei então a pesquisar e perguntar para todo mundo como era tudo, desde as coisas mais bobas. Mas, mais do que tentar convencer meu pai, eu tinha que estar segura do que estava fazendo, para além de passar segurança para minha família, também para me proteger.

Mehrangarh Fort, Jodhpur, Rajastão

Mehrangarh Fort, Jodhpur, Rajastão Foto: Abhi Sharma

Pelo fato de eu ter pesquisado muito, conversado com pessoas locais e investigado bastante, não tive problemas, tudo ocorreu super bem, mas sei de pessoas que passaram por diversos problemas, como por exemplo chegar no lugar e não ter ninguém para ajudar ou a empresa que foi trabalhar era horrível e acabou falindo ou a casa não era bacana, mil coisas podem acontecer, por isso é muito importante você pesquisar a fundo para onde você vai, isso te ajuda a minimizar os possíveis problemas.

Bom, quanto ser mulher na Índia, prepare-se para receber muitos olhares, MUITOS mesmo. Só o fato de você ser estrangeira já chama atenção. As pessoas te encaram, ficam olhando, querem tirar fotos, parece celebridade sabe?!

Para vocês terem uma ideia da quantidade de homens x mulheres no mercado de trabalho, eu, por exemplo, trabalho com 35 homens na redação, sou a única mulher, mas sou super bem tratada, com muito respeito.

No entanto, a Índia é um país ainda machista, predominantemente masculino, as mulheres se casam muito cedo, por volta dos 24 anos elas param de trabalhar. Outro fator é que a maior parte delas tem horário para voltar para casa, por volta das 20h – 21h, então a noite é super difícil encontrar mulheres na rua.

mulheres sozinhas viagem india japa viajante

Mehrangarh Fort, Jodhpur, Rajastão Foto: Abhi Sharma

Para mim até agora está sendo super tranquilo, porém evito algumas coisas, por exemplo, uso roupas mais curtas só quando ando de carro com alguém conhecido e vou para lugares fechados, caso o contrário uso saias longas e calças e, também, blusas mais fechadas, sem muito decote ou transparência.

Evito também aglomerações, lugares muito cheios sabe?! Por exemplo, fui em uma queima de fogos perto de casa e um cara apertou a bunda da minha amiga, isso infelizmente acontece. Comigo aconteceu uma vez, estava num restaurante que é considerado super “western” e um dos garçons que estava servindo o jantar apertou a minha bunda e de uma amiga, ficamos MUITO bravas, chamamos o gerente e claro que o garçom negou, não tínhamos como provar.

Fora essa desagradabilíssima situação tudo está ocorrendo bem, aqui as pessoas amam estrangeiros e te tratam SUPER bem, pelo menos comigo está sendo assim.

Mehrangarh Fort, Jodhpur, Rajastão

Mehrangarh Fort, Jodhpur, Rajastão Foto: Abhi Sharma

Quanto a viagens, é possível sim viajar sozinha, mas saiba que você não poderá fazer tudo o que você fazia no seu país, algumas precauções devem ser tomadas. Por isso, separei algumas dicas que julgo importantes para mulheres que pretendem viajar sozinha na Índia:

  • Verificar os horários dos trens para não chegar de madrugada nas cidades. Se possível escolha um trem que possui vagões só para mulheres, é mais seguro;
  • Evite roupas que marcam o corpo ou que chame muita atenção;
  • Sempre carregue um scarf para em alguma situação estranha cobrir o cabelo. As mulheres casadas usam lenço para cobrir o cabelo, então as pessoas respeitam mais;
  • Be strong! Foi a frase que eu ouvi do meu manager no primeiro dia que cheguei no escritório e é uma frase que levo comigo aqui da Índia. Seja confiante, o que muitas vezes significa não ser, necessariamente, educado, alguns situações requerem deixar o sorriso de lado e pedir para a pessoa parar ou se retirar;
  • Estrangeiras tendem a serem vistas como alvos “fáceis e vulneráveis” para os indianos, isso porque a Índia ainda carrega essa tradição do homem ser o provedor do lar e muitos deles aproveitam da amizade para insinuar algo sexual;
  • Algum homem está te importunando ou sendo inconveniente? Diga que você namora ou é casada com um indiano. A família é a base para eles, por isso eles respeitam muito mais as mulheres casadas. Já ouvi casos de viajantes mulheres que usam as mesmas joias que as mulheres indianas casadas usam para reforçar o “casamento fake” e não serem importunadas. Mas, se você não quiser chegar nesse ponto, como eu também não, fale que você namora um indiano e isso, na maioria dos casos, já resolve a situação;
  • Se você sair tarde do restaurante ou bar, peça para alguém te acompanhar até o táxi ou tuk tuk. Outra dica é ligar para alguém e falar bem alto a placa do táxi / tuk tuk, isso intimida os motoristas;
  • Sempre que possível deixe avisado onde você está, uma opção é enviar sua localização via whatsapp, vamos usar a tecnologia ao nosso favor;
  • Muitos hotéis e hostels fornecem o serviço de transfer na estação de trem ou aeroporto, essa é uma ótima opção caso você chegue muito tarde;
  • Economia x risco – eu particularmente prefiro pagar um pouco a mais para estar segura do que me arriscar, por isso cuidado na hora de escolher a acomodação, pesquise bastante antes;
  • Sempre carregue o seu celular, se possível compre um SIM card local ou um celular baratinho para fazer ligações, as tarifas para celular são super baratas;
  • Carregue sempre o passaporte e deixe guardada a cópia do passaporte / visto por precaução;
  • Malas de rodinhas são práticas, porém na Índia muitas das calçadas não são pavimentadas, por isso as mochilas serão mais fáceis de serem manuseadas em trens e tuk tuks.

Apesar de tudo, a Índia é muito amor, realmente incrível e sem dúvidas um país encantador, impossível não se apaixonar ❤

Beijos,

Fer Toyomoto.